Mantras » Mantra Gayatri

» Mantras » Mantra Gayatri


Entre todos os milhões de mantras compilados e guardados nos arquivos do Extremo Oriente, o mantra Gayatri é universalmente considerado a essência detodos os mantras. As palavras em sânscrito contém todo o seu poder e potencial espiritual.

De acordo com a cosmologia védica, existem sete círculos de luz brilhante. Cada um desses círculos ou esferas é espiritualmente mais elevado e sublime do que o precedente. Numa semelhanta impressionante com as do Paraíso de Dante em a Divina Comédia, esses círculos luminosos são progressivamente alcançados pelo desenvolvimento espiritual humano até, finalmente fundir-se com Deus. Então só poderemos voltar à Terra se Deus quiser ou precisar que realizemos algum serviço, como parte do grande plano do universo.

As várias esferas de luz são as moradas dos santos e sábios, profetas e rishis, anjos e arcanjos, e dos Grandes Salvadores da humanidade que vêm de tempo em tempos. Apesar de existir mais de um meio de alcançar essas esferas, um meio comum a todos é o respeitável mantra Gayatri.

O mantra Gayatri é uma simples meditação focalizada na luz espiritual. Enquanto os outros mantras são ótimos para seus objetivos, esse é recitado especificamente para iluminar a mente e o intelecto. Para o verdadeiro poder espiritual, o acúmulo da suprema luz espiritual e a obtenção da iluminação, não existe nada que seja comparável ao mantra Gayatri. Praticado por hinduístas e budistas de diferentes tendências, ele é reconhecido comoo recurso supremo para se alcançar a iluminação.

De acordo com os ensinamentos védicos, cada uma das sete esferas tem uma única vibração, que é uma vibração condensada de toda a esfera. É um resumo da esfera na forma de uma única palavra. Quando entoamos a vibração dessa esfera, nós a trazemos para dentro de nós mesmos. Estabelece-se então um contato entre nós e a esfera. No início, esse contato é fraco e sutil. Mas com o tempo, com a prática espiritual constante, esse contato torna-se tão forte que a pessoa consegue manter a vibração dessas esferas mesmo enquanto estamos vivendo no corpo físico, durante as atividades corriqueiras. Em sânscrito, esse estado às vezes é chamado de sahaja samadhi, ou o “o estado natural de iluminação”.

Várias escrituras religiosas do Extremo Oriente também fazem referências a essas sete esferas. Os Bodhisattvas budistas descreveram em detalhes essas esferas e as qualidades de sua luz: “a luz clara”, “a primeira luz clara” e assim por diante. Os yogues hindus seguidores do Caminho Siddha (o Caminho dos Seres Perfeitos) também se referem cautelosamente a elas. Paramahansa Muktananda, mestre reconhecido mundialmente do Caminho Siddha, chegou a escrever sobre suas “jornadas” em sua autobiografia. Jesus disse, “Na casa de meu Pai existem muitas moradas”. Por qualquer que seja a porta que entremos, o acesso às esferas de luz é parte do nosso destino espiritual na Terra, tanto individualmente quanto como espécie. Temos como testemunhas as palavras dos Grandes Mestres.

A Terra é a esfera mais baixa das sete esferas de luz. O som vibratório da esfera terrestre é Bhuh. Certos textos espirituais referem-se à esfera terrestre como Bhuh Loka. Deve-se notar que existem ainda outras sete esferas mais baixas e escuras (“assim na terra como no céu”). Naturalmente, muitos seres das esferas inferiores procuram chegar à primeiraesfera de luz, exatamente como nós estamos tentando alcanças as esferas superiores. Quando os seres das esferas inferiores conseguem chegar aqui na Terra, ocorre a destruição. As escrituras védicas explicam detalhadamente e interativamente entre os habitantes das esferas da luz e das trevas, mas em termos corriqueiros essa é a luta que está sendo travada entre o bem e o mal.

O mantra Gayatri usa o som para invocar a vibração de cada uma das sete esferas de luz do universo, especificamente para o plano da Terra. Além disso, pela repetição desse mantra, essas vibrações depura luz são invocadas diretamente para dentro de nós. A prática prolongada do mantra gayatri acaba acumulando tanta luz espiritual no corpo físico que ele resiste à decomposição, mesmo após a morte.

Quando o grande yogue Paramahansa Yogananda deixou esta vida em 1952, seu corpo foi colocado num ataúde aberto, onde ficou exposto à visitação pública durante as quatro semanas em que foi pranteado, sem apresentar nenhum sinal visível de decomposição. Finalmente, surgiu um pequeno sinal de decomposição em seu nariz e o ataúde foi lacrado. O fato foi registrado e relatado pela revista Time.

A organização de Yogananda, a Self-Realization Fellowship, ensina uma técnica específica para o desenvolvimento espiritual. O mantra Gayatri não é essa técnica. No entanto, Yogananda praticou o mantra Gayatri em sua juventude, como fazem todos os sacerdotes hindus. De fato, as primeitas edições do livro “Autobiografia de um yogue” mostram uma fotografia dele realizando uma cerimônia de fogo Gayatri para alguns discípulos, devotos e amigos reunidos. Essa foto foi retirada do livro há muito tempo, mas quem por acaso tiver uma de suas primeiras edições, poderá encontrá-la.

Om Bhuh, Om Bhuvaha, Om Swaha
Om Maha, Om Janaha, Om Tapaha,
Om Satyam, Om Tat Savitur Varenyam
Bhargo Devasya Dhimahi
Dhiyo Yonaha Prachodayat



Ó Luz Auto-resplandecente que deu origem a todas as lokas
[esferas da consciência], que é digna de devoção e aparece através
da órbita do Sol, ilumina o nosso intelecto.

Mantra: Om Bhuh (primeiro chrakra)
Representação: Plano terreno

Mantra: Om Bhuvaha (segundo Chakra)
Representação: Plano atmosférico

Mantra: Om Swaha (terceiro chakra)
Representação: Região solar

Mantra: Om Maha (quarto chakra)
Representação: Primeira região espiritual além do Sol: vibração do coração

Mantra: Om Janaha (quinto chakra)
Representação: Segunda região espiritual além do Sol: poder da Palavra espiritual divina

Mantra: Om Tapaha (sexto chakra)
Representação: Terceira região espiritual além do Sol: esfera dos Progenitores: plano do conhecimento espiritual mais elevado ao ser que ainda se identifica com sua existência como indivíduo

Mantra: Om Satyam (sétimo chakra)
Representação: Morada da Verdade suprema: dissolução no Supremo

Mantra: Om Tat Savitur Varenyam
Representação: O plano da Verdade que está além da compreensão humana

Mantra: Bhargo Devasya Dhimahi
Dhiyo Yonaha Prachodayat
Representação: Do lugar em que todos os celestiais de todas as esferas foram iluminados, iluminai amavelmente nosso intelecto

Existem diversos aspectos importantes a serem observados com respeito à estrutura deste mantra. Primeiro, notamos que a sílaba Om é usada como prefixo em todas as palavras místicas que representam as esferas. Há uma boa razão para isso. Enquanto estamos na Terra, trabalhamos com nosso atenção consciente focalizada através da vontade. Nossa vontade é expressa em nossas decisões e atitudes diárias. A sede bioespiritual da nossa vontade está localizada no chakra frontal, num ponto que fica no meio e alguns centímetros acima das sobrancelhas. Nas situações normais em que estamos despertos, nosso olhos estão muito próximos desse chakra da vontade. Quando fechamos os olhos para meditar, esse é o lugar que o nosso olhar deve focalizar. O som seminal desse centro espiritual é Om.

Se estamos empenhados numa disciplina espiritual com o propósito de trazer a essência espiritual das várias esferas da luz para o mundo físico. precisamos fazer isso com consciência e vontade. Isso é realizado pelo uso do Om como prefixo ao som de cada uma dessas esferas de luz. Isso também significa que nos relacionamos com todas as esferas através da autoconsciência e da atividade intencional.

Quando chegamos à frase que começa com Bhargo Devasya, estamos fazendo uma invocação espiritual que inclui todos os seres que foram iluminados e que praticaram este mantra específico. Estamos pedido às forças do universo que se manifestam conscientemente para que nos ajudem a alcançar a iluminação. Existem níveis de iluminação que são representados pelos planos individuais. Estamos agora pedindo ajuda para alcançar a meta suprema da espécie.

Om Bhuh, Om Bhuvaha, Swaha
Om Tat Savitur Varenyam
Bhargo Devasya Dhimahi
Dhiyo Yonaha Prachodayat

Ó Luz Auto-resplandecente que deu origem a todas as lokas
[esferas da consciência], que é digna de devoção e aparece através
da órbita do Sol, ilumina o nosso intelecto.